Quando vim para o Qatar muitos se preocuparam quanto a liberdade que eu teria aqui. Se eu seria obrigada a usar burca, se algum “sheik” poderia querer me raptar (sim, eu ouvi essa!), em suma, se preocuparam em saber se é difícil ser mulher por aqui.

A grande verdade é que ser mulher é difícil em qualquer lugar do mundo! E a quem pensa que não temos mais pelo o que lutar, informo que 1 em cada 3 mulheres sofrem ou já sofreram algum tipo de violência, física, sexual ou psicológica por parte de seus pais, cônjuges e até empregadores.

Isso sem falar em todo padrão de estética que nos é imposto pela sociedade predominantemente machista, salários desiguais, menos oportunidades de crescer profissionalmente e coisas mais horríveis como a mutilação genital.

violencia-mulher-nao-mobbem-banners

Eu tive medo de vir para cá, de depender do meu marido, e, confesso que é muito estranho ter que pedir para ele assinar documentos me autorizando a trabalhar, viajar, ter carteira de motorista. Mas em minha última visita ao Brasil reparei, por exemplo, que todos os garçons entregam a conta para ele. O que me impede de pagar no Brasil? Já que, teoricamente, somos tão mais avançados? Essas pequenas atitudes só confirmaram que a luta pela igualdade ainda está longe do fim.

Posso dizer que aqui eu conheci uma história inspiradora, a história de uma mulher revolucionária. Uma mulher que, apesar das adversidades foi a frente de seu tempo e sua cultura e usou seu prestígio para fazer a diferença no país.

A Sheikha Mozah Bin Nasser Al Missned, que está em 34º lugar na lista Forbes dos árabes mais influentes e poderosos do mundo, é apontada como uma das responsáveis pelo rápido progresso do Qatar e sua recuperação econômica.

mozah

É dela várias as iniciativas ambiciosas dirigidas a mulheres, crianças e educação. sem contar que a Sheikha está trabalhando ativamente para combater a violência doméstica , melhorar os direitos trabalhistas das crianças e dar aos deficientes mais acesso a postos de trabalho.

Para evitar a propagação do extremismo entre os jovens, ela, que é mãe de 7 filhos, está conduzindo programas para melhorar a educação e aumentar as oportunidades de emprego para os mesmos.

E, para mostrar que suas atitudes progressistas funcionaram, sua filha Sheikha Mayassa Al Thani, irmã do atual Emir e a 14ª filha da família real, com apenas 31 anos já se tornou a “rainha do mundo das artes” . Presidente da Qatar Museum, ocupa o número 29 da lista Forbes o que demonstra claramente que a posição das mulheres na sociedade qatari está evoluindo e caminhando para melhor.

mayassa

Eu como mulher, filha, esposa e futura mãe (um dia!), nunca desistirei da luta pela nossa igualdade, seguirei até o fim dos meus dias clamando por nossos direitos, reivindicando o que é certo. A luta é pela liberdade de vestir o que nos deixa a vontade, seja um short ou seja uma burca. A luta é para ter o direito a um parto digno, mesmas condições de emprego. A luta é para viver sem medo de dizer o que pensa.

Parabéns a nós mulheres revolucionárias que nunca desistimos e nem desistiremos de um mundo sem violência e em que hajam oportunidades iguais para todos independente do sexo!

mulher11

Deixo abaixo um texto que adorei! Da queridíssima Camila Cardoso, aquela que me fez dar o primeiro passo para o mundo das ativistas!

“Parabéns pra vc que nasceu com vagina! Obrigada por nos entreter com suas bundas, peitos e cabelos, por nos proporcionar muito prazer sexual, por gestar e criar nossos filhos e principalmente, pelo bom comportamento em seguir as nossas regras. Eu, Sir Homem, pelo poder concedido somente a mim, através desse falo apoiado em seus ombros, te declaro: mulher.Ah tá, e pelos poderes de Grayskull, eeeeeu sou She-Ha! She hahaha, quero dizer. Porque para aceitar esse “afago” na cabeça, ou pedido de desculpas velado, que é o dia internacional da mulher, só com muito bom humor. Ou com a cara blasé da Monalisa. Aquele sorrisinho que você não sabe se ela está concordando, ou se divertindo internamente com o julgamento que faz de você. Bem, aproveitarei o ensejo para parabenizar as mulheres e os homens que fizeram algo na vida pela igualdade de gênero. Parabéns a vocês que constroem um mundo melhor para todos!!! Parabéns para os(as) empregadores(as) que oferecem o mesmo salário e cargos para homens e mulheres. Parabéns para os pais que participam ativamente da rotina de seus filhos e não pensam que “estão ajudando” a mãe, mas simplesmente dividindo a mesma responsabilidade. Parabéns as mulheres que despertaram do soninho de Bela Adormecida, sem beijo, nem permissão de ninguém e descobriram seu poder e autonomia. Parabéns a todas as “irmãs” que empoderam outras mulheres. Que o nosso Deus materno ampare seus corações a cada porta trancada por dentro! E por fim gratidão eterna a todxs referências feministas que cruzaram o meu caminho. Juntxs somos fortes.” Camila Cardoso 

 


Thaís já foi atriz de teatro amador, bailarina torta, advogada e professora universitária. Mora no Qatar e desde que chegou a Doha, depois de 18 horas de viagem, se descobriu desbravadora. Como uma boa capricorniana não se acostumou bem à mudança, entretanto isso não foi obstáculo para que abrisse seu coração para viver uma nova aventura diferente de tudo que já viveu antes. Aos poucos Doha ganhou seu coração a ponto de sentir o desejo pulsante de dividir com o mundo o que este lugar tem a oferecer.

1 comment on “Feliz dia internacional da mulher!”

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *