O ano de 2013 foi bem movimentado para mim. Cheguei a me dividir entre três empregos, organização de casamento, obra, casa nova. Confesso que, de início, não foi muito difícil  jogar tudo para o alto e vir viver em Doha num hotel maravilhoso, com piscina, jacuzzi e uma pessoa para fazer faxina todos os dias. Foram quase umas férias!

Depois da pergunta da burca, a que mais ouvi foi: “e você, vai largar tudo?”

A preocupação das pessoas era válida, afinal foram 5 anos de faculdade de direito, 1 ano de pós graduação, cursos, estágios, meu sonhado emprego como professora universitária, minha cartela de clientes, enfim, toda uma carreira que construí seria deixada de lado para seguir os sonhos dos meu recém marido.

adv

Para quem não sabe, às vésperas do meu casamento meu noivo recebeu a proposta de vir trabalhar fora. O salário e os benefícios eram convidativos, ele sempre teve o sonho de sair do Brasil e eu, não, mas depois de muita conversa (inclusive com Deus!), aceitei o desafio. Empacotamos nossas coisas novinhas, vendemos tudo e cinco dias depois da nossa cerimônia de casamento ele veio.

Eu só cheguei em janeiro de 2014, deixo o motivo para outro post. Pulei num tapete mágico e vim viver minha história de amor aqui nas arábias. Não pensei muito bem que tudo que estudei no Brasil não seria muito útil por aqui. Recebo sempre no meu blog DesbravaDoha, e-mails de pessoas me perguntando se vale a pena. A resposta é algo tão pessoal que eu prefiro só contar como é para mim.

Quando saímos do hotel e viemos morar numa casa de verdade, a minha ficha caiu. Eu estava num lugar estranho, cercada de gente estranha, sem NADA pra fazer a não ser cuidar da casa e assistir séries de TV, episódio atrás de episódio. Não que seja ruim colocar as séries em dia ou que eu não tivesse bastante serviço doméstico, mas sair da vida corrida de três empregos e virar dona de casa foi um baque!

Thais_Thiago-516

Comecei a perceber, porém, que não estava sozinha; a maioria das mulheres que andam por aqui vieram para acompanhar os seus maridos. Muitas delas (ou todas) também tinham suas carreiras. Conheci uma pessoa inspiradora que me deu todo gás para seguir adiante. Ela era jornalista, com especialização em línguas, mestrado na Inglaterra e todo tipo de experiência pelo mundo. Veio para Doha com o marido, não conseguiu encontrar emprego na área dela por questões étnicas (eles não veem asiáticos com bons olhos, ainda mais mulher); passou a se dedicar ao esporte e hoje ela é uma das educadoras físicas mais conceituadas e qualificadas do país.

Ela recomeçou do zero e, se ela conseguiu, eu também consigo! Comecei a estudar inglês, ir à academia regularmente, passei a ensinar português em casa; hoje tenho 3 alunos (já tive 5). Criei um blog, adotei um gato (ele tem até Instagram – @anguselgato); faço uns bicos de modelo e continuo a aprender coisas novas todos os dias: acabei de me matricular num curso de fotografia e de escritora de romances.

Reza a lenda que muitos casamentos se desfazem aqui. Acredito que, se isso acontece, é porque não existe cumplicidade entre os cônjuges. Quem abriu mão tem que abrir o coração também para novas experiências e quem veio para realizar seu sonho deve estar apto a entender as queixas, os medos e a ansiedade de quem deixou tudo para trás.  Afinal o que é o casamento senão o eterno jogo de ser feliz fazendo o outro feliz?

A coisa mais maravilhosa que o Qatar me deu foi a oportunidade de me reinventar. E esse presente ele dá a todos que aceitam o desafio, sem distinção. Aqui podemos começar do zero, ser alguém diferente, tentar algo novo tudo sem medo de ser julgado. Então, se você me pergunta se valeu a pena eu te digo: sim, todos os dias valem a pena!

Publicado originalmente em : www.brasileiraspelomundo.com

Thaís já foi atriz de teatro amador, bailarina torta, advogada e professora universitária. Mora no Qatar e desde que chegou a Doha, depois de 18 horas de viagem, se descobriu desbravadora. Como uma boa capricorniana não se acostumou bem à mudança, entretanto isso não foi obstáculo para que abrisse seu coração para viver uma nova aventura diferente de tudo que já viveu antes. Aos poucos Doha ganhou seu coração a ponto de sentir o desejo pulsante de dividir com o mundo o que este lugar tem a oferecer.

10 comments on “BPM- A arte de reinventar de advogada a dona de casa”

  1. Tenho acompanhado seu site. Gosto muito da visão realista que tem. Ainda que não consiga trabalhar full time, gostaria de ter um emprego mesmo que casual. Entendo que ser mulher e imigrante tenha suas barreiras ai porém gostaria de sua opinião sobre ocupações. Você poderia indicar possiveis alternativas de trabalho para mulher/esposa? Muito obrigada!

    • Oi Amanda! Que bom que você gostou do blog, faço tudo com muito carinho.
      Existe trabalho para todo mundo. Até no texto eu digo que trabalho de part time como modelo e hostess, muitas mulheres que acompanham o marido fazem isso porque não exige vínculo e é algo mais sem compromisso. Tem esposas que vieram para acompanhar e acabaram encontrando emprego em suas áreas de interesse, professoras, dentistas, nutricionistas, bibliotecárias; e outras se reinventaram e transformaram o hobbie em profissão como as fotógrafas, as quituteiras, doceiras, costureiras. Aqui tem espaço para todo mundo, basta querer e correr atrás.

      Espero ter te ajudado, grande abraço!

    • Depende de quanto é o salário, se a pessoa leva uma vida econômica ou não. Aqui é fácil ganhar dinheiro mas também é fácil gastar. Conheço pessoas que fizeram um bom pé de meia em 10 anos, compraram casa, sítio e vivem bem. E conheço pessoas que estão há anos aqui e não tem nada e capaz de ter dívida hahahaha

  2. É preciso muita coragem para mudar a vida dessa maneira, mas ler esse texto foi, sem dúvida, inspirador!
    Quando era solteira tinha planos muito definidos em relação à minha carreira, mas quando alguém especial aparece na nossa vida as coisas alteram-se…aquilo que antes era prioridade passa a ser secundário. A vida tem disso…dá tantas voltas!
    Eu e o meu noivo temos vindo a amadurecer a ideia de emigrarmos, mas o destino vai depender muito das propostas de emprego. Mas continuar a acompanhar essas tuas aventuras em Doha. 😉
    beijinhos

  3. Oi Thais tenho acompanhado o seu blog, muito interessante, muito informativo, rico em detalhes. A vida deu algumas voltas e existe uma grande possibilidade de eu mudar pro Doha já no inicio do ano que vem e seu blog está sendo de grande utilidade para mim!
    Se nao for pedir muito poderia fornecer o seu email??
    Um forte abraco e muito obrigada por dividir suas experiencias conosco.

    Juliana

    • Oi Juliana!
      A vida é assim mesmo, quando a gente menos espera temos uma surpresa…
      Meu e-mail é desbravadoha@gmail.com .

      Fico muito feliz de saber que minhas experiências estão te ajudando. Eu que agradeço por todo o carinho!

      Grande abraço.

  4. Olá Thais, descobri o seu blog pesquisando sobre doha. Adorei! Parabéns!
    Vamos a Bali em maio e vamos pernoitar em Doha, gostaria de uma dica de um hotal barato perto do aeroporto, voce pode me dar uma dica onde procuro? Obrigada!
    Abracos,
    Sahajo

    • Olá!! Que bom saber que vocês curtiram o blog!

      Para sair do aeroporto você tem que pagar o visto. Ou seja, mesmo para o pernoite vocês gastariam apenas para entrar no país. Veja se compensa procurar um hotel fora. Quando busco hotéis aqui sempre olho no booking.com

      Sei que a Qatar airways oferece serviço de pernoite que ela mesmo arranja o visto, o translado e o hotel. Talvez seja uma melhor opção.

      E, em último caso, tem o hotel do próprio aeroporto ( esse não precisa de visto para o pernoite)

      Espero ter te ajudado, grande abraço.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *